Pessoal

O que o Spotify pode nos ensinar?

Recente pesquisa do Spotify, mais famoso serviço de música em internet, mostrou que existe uma probabilidade de 24,14% dos usuários pularem de uma música para outra durante os 5 primeiros segundos. Nos primeiros 10″ (28,97%), 30″(35,05%) e antes de acabar a música (48,6%).

Captura de tela de 2014-08-17 22:22:07

A pesquisa afirma que quanto mais jovem o usuário, maior a adesão pela velocidade de consumo e mudança para uma nova música. O dado nos leva a crer que o usuário do Spotify, em especial os jovens, parecem ansiosos e com dificuldade de atenção as músicas escolhidas.

Nesse sentido, tenha sempre presente: os primeiros 5″ são definidores quando você disponibiliza conteúdo de áudio nas redes sociais.

Abaixo algumas tabelas da pesquisa.

Comportamento médio do pulo dentro nos primeiros 60″

all_songs_detailComportamento médio do pulo por idade do ouvinte:

Skipping_behavior_by_ageFonte: Music Machinery

Padrão
Comunicação, Midias Sociais

A baixaria em comentários no site de O Globo são piores que nas Redes Sociais

É comum de vermos na comunicação oficial, inclusive estampada nos impressos da grande mídia, e na fala de seus porta vozes, que as “Redes Sociais” são um território sem lei, onde prospera a baixaria sem controle, ou seja, um “meio” sem credibilidade.

Mas, você já leu os comentários nos sites da grande mídia?

Você tem costume de ler a “carta dos leitores” dos grandes jornais?

Comece a olhar então!

Verás que não difere em nada de uma prática que muitas vezes também acontece nas redes sociais, através de difamações e ataques pessoais, por livre e espontânea vontade de perfis no Twitter e Facebook, em grande parte falsos, mas que você pode deixar de seguir, bloquear e até denunciar, mas como faz nos comentários de um post do site dos grande meios de comunicação?

Vejamos um exemplo, às 14h32 O Globo publicou a seguinte matéria: Partidos da base defendem Lula e dizem que há tentativa de ‘golpe’, ela já tem mais 100 comentários, a grande maioria é ofensivo, calunioso e difamador. Continuar lendo

Padrão
Eleições 2012

Serra restringe e Haddad amplia, tônica da campanha web (SP) no 1º dia da eleição 2012

Não pretendo hoje detalhar o tema, mas é gritante o formato de apresentação web assumida por Serra e Haddad, candidatos a prefeitura de São Paulo, nesse 1º dia de campanha.

Em 2010 a candidatura Serra (PSDB/SP) na web, coordenada por Soninha Francine, contratou um especialista indiano, assessor que custou 1 milhão de dólares para o PSDB, projetou uma ferramenta e teve somente um mês de contrato. Na época a estratégia do Indiano foi atacada por setores do PSDB, descontentes com o bloqueio no site, os tucanos afirmaram que: “ele não tem sentido de rede, tem sentido de spam” http://www.folha.com.br/po800776

Hoje (06) a história se repete:

A candidatura tucana apresentou hoje um site que barra o acesso obrigando o cadastro do email, igual 2010, todos lembram como foi a campanha de emails pró-Serra na eleição presidencial, peças sem assinatura, mentira recheada de homofobia e muita  truculência, resta saber se a forma vai se repetir nessa eleição http://www.sidneyrezende.com/noticia/104197

Haddad e uma nova ferramenta

Por outro lado Haddad (PT/SP) foi o mais arrojado dos candidatos no 1º dia, lançou um canal de vídeos gigantesco com possibilidade de comentários e integrado as redes sociais. Sem dúvida é uma interface profissional e digna de elogios, com capacidade de informar de forma qualificada o eleitor e os apoiadores, mas para ampliar, se esse for um dos objetivos, ela precisa avançar, ser mais interativa, ter espaço controlado de divergência e reconhecer o conteúdo do apoiador com válido para a campanha.

Vale ver: http://pensenovotv.com.br/ um oxigênio para os adoradores de campanha web.

* Post ainda sem revisão.

Padrão
Eleições, México

“Sobran las balas, sobra la miseria y falta la consciencia.” #YoSoY132 frescor na eleição Mexicana

A eleição mexicana foi hoje (01/07) e a contagem de votos ainda não terminou, a boca de urna aponta a volta do velho PRI a presidência com Enrique Peña, um Collor do tipo novela SBT, se por um lado o México deverá negar o governo Calderon relegando ao 3º lugar Josefina Vázquez (PAN), por outro a alternativa foi olhar para o passado e resgatar o PRI, partido que governou o México por quase todo o século XX. O bi-partidarismo, sonho da elite mexicana, segue em construção, no meio do caminho Obrador (PRD), candidato da esquerda, que deverá ficar em segundo lugar. A esquerda garante uma boa votação, mas romperá o acordo de alternância de poder entre PAN e PRI?

De novo, de fato, só a juventude mexica com o #YoSoy132, vale ler matéria da Carta Maior, vale leitura!

Vale ler também o especial sobre o PRI que a Rede Brasil Atual fez (AQUI)

Cidade do México – O impensável sempre tem lugar. Em pleno processo eleitoral mexicano, o impensável se chamou #YoSoY 132, um movimento estudantil que surgiu na Universidade Iberoamericana contra o candidato do PRI, Enrique Peña Nieto, e contra o ultraje da informação simbolizado para os jovens no canal Televisa. Se o movimento estudantil mexicano se definiu claramente contra o representante do PRI, sua irrupção na cena política foi muito mais além da disputa pela presidência. #YoSoY 132 instaurou um espaço de debate e diálogo que soube liberar-se da camisa de força tradicional com que os meios de comunicação do sistema oficial envolvem as sociedades. Por meio da internet e das redes sociais #YoSoY 132 criou um canal paralelo de discussão e de crítica global ao Estado mexicano que não tem precedentes no país.

Ainda que o contexto seja diferente e o México seja uma democracia, a sua maneira repentina e mobilizadora #YoSoY 132 segue a trajetória dos jovens revolucionários do Egito que, graças à internet, conseguiram plasmar uma rebelião contra todo um sistema. Acusado de partidarismo, de servir aos interesses do candidato da esquerda, Andrés Manuel López Obrador, dividido, contaminado pela contrapropaganda, # YoSoY 132 sobreviveu aos ataques e manipulações para deixar uma marca fresca e duradoura.”

Leia mais no site da Carta Maior

Padrão
Redes Sociais

Semana do Servidor RS – Redes Sociais, e você com isso?

Semana do Servidor Público 2011

Breve diálogo que fiz sobre Redes Sociais, comemorativo a  semana Servidor Público do Governo do Rio Grande do Sul (Portal AQUI). A apresentação fez parte da programação de oficinas e palestras no CAFF dia 16/10 (15h). Clique na imagem para acessar a apresentação.

Redes Sociais. Clique na imagem.

Padrão
Pessoal

“Nas Redes, nas Telas, nas Ruas” Por Carolina Abreu Albuquerque. #LeituradeDomingo

Abaixo parte da conclusão do artigo “Nas Redes, nas Telas, nas Ruas” de Carolina Abreu Albuquerque¹. O artigo é básico, curto e de fácil leitura. Apresenta questões centrais como as assimetrias internas nas “redes” e a convergência de comunicação entre grupos “espontâneos” e a “velha” mídia, pontos essenciais para analise da potência transformadora e eficácia anti-sistêmica dos chamados movimentos sociais 2.0.

Vale como fonte de debate, fica a dica.

Para além da dimensão técnica dessas ferramentas, é possível observar como esses movimentos estão inscritos em uma lógica comum, um princípio que sustenta e embasa os modos pelos quais as ações se desenrolam. Características como a espontaneidade de agregação, a organização em rede, a ausência de lideranças estabelecidas e a rejeição (ou, ao menos, não-adesão) aos modos tradicionais de representação parecem estar intimamente relacionadas às formas de comunicação da mass self-communication. Longe de se constituir como uma trincheira, essas formas interagem, tensionam e alimentam as formas consolidadas da comunicação de massa tradicional, conformando uma lógica contemporânea – atravessada pela convergência (e pela divergência) de modos de produzir, consumir e circular produtos culturais.

¹ Mestranda em Comunicação pela UFMG, integrante do Centro de Convergência de Novas Mídias (CCNM/UFMG).

Faça download do Artigo AQUI (411kb .pdf do GT3 do Simsocial)

Padrão