Cibercultura

Governo brasileiro entra na paranoia da “Ciberguerra”

Sobre comando do “Exército” o Brasil inaugura bunker de defesa cibernética diz Estadão, literalmente gelei, não sei o que é pior, se é o Brasil entrar na paranoia de bunker de Ciberguerra, como se um Bunker central fosse a melhor forma de enfrentar a “guerra”, ou pelo fato dele estar sobre batuta do exército.

Vamos avaliando?

Matéria do Estadão.

Brasil estreia Centro de Defesa Cibernética

SÃO PAULO – O Centro de Defesa Cibernética (CDCiber) do Brasil se prepara para sua primeira grande atividade desde que o órgão foi criado em 2010. Sob o comando do Exército, o CDCiber assumirá a responsabilidade pela coordenação de redes no País e espera usar toda a experiência adquirida nas ações de testes feita até agora na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

O Exército terá como aliados o Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), a Polícia Federal e o Ministério de Relações Exteriores. O departamento ainda se encontra em obras, mas a previsão é de que os espaços, inclusive o do Centro de Consciência Situacional, responsável pelo acompanhamento do evento, estarão prontos até o início de junho.

O CDCiber tem suas instalações em Brasília e em uma das cidades ao redor. Nas instalações, cem oficiais convivem com simuladores de guerra cibernética, laboratórios para análise de vírus e um centro de tratamento de incidentes.

O Instituto Militar de Engenharia (IME), no Rio, se encarregou de treinar oficiais, oferecendo cinco cursos de mestrado e doutorado na área de defesa cibernética para quem é graduado em ciências da computação ou engenharia de defesa.

“Temos cursos externos para militares das três forças e também no mercado universitário, para pós-graduações. No futuro, queremos contratar pessoas que conhecem a área para trabalhar aqui, ou que possam dar consultoria”, disse o general Antonino Santos Guerra, diretor do Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército à BBC.

Desde que um vírus, conhecido como Stuxnet, atacou o sistema do programa nuclear do Irã, países se armam nesse novo front virtual de batalha, uma precaução em um contexto de suspeita sobre uma ciberguerra próxima. Centros como o CDCiber já existem nos EUA, China, Rússia e Israel.

Padrão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s