Capitalismo, Mundo do Trabalho, Tecnologia

Quantos escravos trabalham para você? O Slavery Footprint me disse 42.

É possível que os artigos comuns do seu cotidiano, como celular, roupa, computador e outras dezenas de objetos possam ter passado por mão de obra escrava, independente da popularidade e credibilidade das marcas fabricantes. O fato, que pode ser chocante para alguns, é um alerta do site “Slavery Footprint” (algo como “Pegadas da Escravidão”, em tradução livre), que mostra, a partir de dados informados pelo usuário, quantos escravos trabalham para que os itens cheguem ao seu consumo.

Nas pegadas do trabalho escravo, a informação pode libertar

Capa do site questiona: "Quantos escravos trabalham para você?"

Por: Leticia Cruz, Rede Brasil Atual

“Quantos escravos trabalham para você?”, é a pergunta inicial do site. Baseado nos produtos que compramos, o site “calcula” o número de prováveis trabalhadores forçados que estão envolvidos na produção. Na definição do próprio site, é escravo todo o indivíduo que é forçado a exercer atividades sem remuneração, explorados economicamente e incapazes de deixar a situação. Imigrantes são particularmente vulneráveis​​, mas os indivíduos também podem ser forçados ao trabalho em seus próprios países.

Um dos objetivos dos organizadores do projeto é mostrar que, por maiores que sejam as empresas que produzem, muitas vezes a procedência dos materiais é desconhecida. “E o algodão de sua camisa? E o tântalo (que armazena energia no aparelho) daquele smartphone?”, pergunta o texto do site. Contrariando quem imagina que escravos só são encontrados nos campos e minas, o “Slavery Footprint” mostra que o tipo de mão de obra é participante de toda a cadeia de suprimentos.

A reflexão proposta não pede que o consumidor deixe de comprar, ou que emerja sentimento de culpa. Para que o ciclo de produção completo seja esclarecido, seria necessária a participação popular para questionar às empresas e marcas de onde o material de seus produtos vêm, impondo a preocupação da produção livre. Não seria uma tarefa difícil.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Após ler a matéria, usei o aplicativo e calculei a minha “pegada escravocrata”.

Primeiro você deve ir na página web  “Slavery Footprint”, lá você responde um número de perguntas sobre seus bens e hábitos de consumo, a cada item informa-se como você impacta na cadeia da escravidão. O site é muito bem desenhado, intuitivo e rápido. Terminado uma série de questões você terá o seu mapa.

Sobre a metodologia:

Sua PEGADA ESCRAVIDÃO TOTAL representa o número de trabalhadores forçados que eram susceptíveis de ser envolvidas na criação e fabricação dos produtos que compra. Este é determinado com base em informações sobre os processos usados ​​para criar esses produtos, bem como investigações dos países em que estas fases da produção realizada para o trabalho escravo conhecida (dentro destes processos específicos.) Este número é compilado a partir de múltiplos pontos de cada produto. Saiba mais sobre a metodologia aqui.

O meu está abaixo, 42 escravos.

Meus bens e hábitos geram escravidão aonde?

Meu maior impacto como mostra o mapa é na China:

China – Minas de carvão, olarias e fábricas nas regiões mais pobres da China operam ilegalmente, usando muito da estima da China 150 milhões de migrantes internos como escravos. Matérias-primas da escravidão incluem: Cashmere, acrílica, carvão, algodão, Gold, Graphite, couro, pedra calcária, linho, Mercury, Nylon, Pérola, Quartzo, Silício, seda, prata, estanho, tungstênio, Lã, Ferro Gusa, chumbo, lítio , poliéster

Rolando a página você verá mais informações sobre o seu mapa, bem como poderá compara com seus amigos no Facebook que já usaram a ferramenta. Abaixo os itens de maior impacto que possuo.

Quais meus itens impactam mais?

Na sequência você é chamado a espalhar a ferramenta, bem como acessar o app para Android ou Ios, fazer doações e seguir participando da campanha e ganhando pontos por participação via o aplicativo “Mundo Livre” no celular.

Para obter pontos Mundo Livre:
Facilmente enviar notas para as empresas, pedindo-lhes para examinar suas cadeias de suprimentos.
Faça uma doação para apoiar a luta contra a escravidão na cadeia de abastecimento.
Aumentar a conscientização sobre a escravidão por compartilhar este levantamento, a sua pegada e seu progresso.
Faça o download e usar o app móvel para o check-in enquanto fazia compras para compartilhar suas preocupações sobre o uso da escravidão nos produtos que compra.
Use o Made In A Free World app móvel para mais oportunidades para ganhar pontos Mundo Livre.

Muito interessante a iniciativa.

Vale conhecer.

Padrão

Um comentário sobre “Quantos escravos trabalham para você? O Slavery Footprint me disse 42.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s