Cine Guion, Cinema, Dicas, Filmes, Gastronomia, Olaria, Pessoal, Porto Alegre

“A FAMÍLIA SAVAGE” em meio a gastronomia nativa – para não dizer selvagem.

Domingo passado eu e Cíntia descobrimos um lugar bem legal relativamente perto aqui de casa, a NOVA OLARIA, o descobrir da-se pelo fato de morarmos a pouco tempo em Porto Alegre, o que é comum para os “nativos”, ainda não é para nós.

A NOVA OLARIA fica na LIMA E SILVA 776, Cidade Baixa, tem Livraria Bamboletras (Livros e cds), bares com chopp de 500ml e PATRICIA de Litro, vai de jantas até pastéis. Agora o ponto alto da galeria esta no Cinema Guion, um cinema conceitual, com filmes mais “Cults”.

Domingo passado em nossa expedição noturna, fomos na Nova Olaria e vimos o filme A FAMÍLIA SAVAGE (abaixo coloco detalhes), depois do filme, ainda dentro da galeria, sentamos na pastelaria (de nome estranho, não lembro) tomamos umas Patrícias e ficamos conversando (viajando de praxe, sempre abrimos um negócio). Em meio a uma gastronomia selvagem, comemos uma batata recheada com queijo, alho e sei mais o que, vê se pode, batata recheada, de onde venho isso não existe, mas é bom, bem bom.

Sobre a batata recheada, tem uma importante dica da Cí para quem ainda não se deparou com essa iguaria selvagem, o centro da batata é retirado para colocar o recheio ao ser assada, ele vem no mesmo prato ao lado da batata, portanto, coma ele primeiro, cortando pedaços pequenos e lambuse no recheio que esta dentro da batata, não fique cortando a batata inicialmente, pois perderá o recheio pelas “beiradas” da mesma.

Segunda dica da Cí, na sequência coma um pastel de chocolate para adoçar ainda mais a vida material – ignore o seu final, tem muito óleo. Muito bom, há, uma batata e um pastel da bem para duas pessoas, duas PATRICIA de litro também. OK.

A FAMÍLIA SAVAGE

Um ótimo filme, muito engraçado, o cotidiano nos pregando peças, demonstrando-se profundo e complexo. O filme retrata o cotidiano de um casal de irmãos (Wendy e Jon) que é profundamente abalado com a necessária responsabilidade de cuidar do pai, agora só, doente e idoso. Wendy é trabalhadora temporária, 39 anos (se me recordo bem) que vive de uma bolsa de ajuda pública para pessoas que de alguma forma sofreram danos com o 11 de setembro, Jon com mais de 40 anos, é professor universitário de filosofia e pesquisador de Bertold Bretch, ambos sonham com uma bolsa de estudos da Fundação Guggenheim, no qual ela foi rejeitada 8 vezes e ele 6 vezes.
A nova responsabilidade de cuidar do pai, um sujeito digamos excêntrico e pouco afetuoso, obriga mudanças no dia-a-dia de ambos, mudanças que servirão para recordarem-se do passado, criarem forças para enfrentar o presente e começarem a experimentar novamente um sentimento de pertencimento a uma família.

A FAMÍLIA SAVAGE, um filme simples e ótimo.

Padrão

3 comentários sobre ““A FAMÍLIA SAVAGE” em meio a gastronomia nativa – para não dizer selvagem.

  1. relatividade disse:

    Oi Laurinha, nos esbarramos sim…esses dias te mandei um link sobre uma discusão de bloqueio do wodpress..achei interessante.
    Um abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s