Antropologia, Cultura, Informação, Internet, Pessoal, Tecnologia

“Os brasileiros são os primeiros a ter sua própria porta de entrada para o metaverso, o maior fenômeno da internet dos últimos tempos.”


Em Second Life, basta um teclado e um mouse para realizar os desejos mais íntimos do seu coração – CNN

“São Paulo, 23 de Abril de 2007 – A KAIZEN Games e o iG acabam de anunciar o lançamento do Second Life Brasil (www.secondlifebrasil.com.br), resultado de um modelo inédito no mundo: o Brasil é o pioneiro na implantação do Second Life Global Provider, programa desenvolvido pela criadora do Second Life, Linden Lab, em parceria com a empresa nacional KAIZEN Games. Isto é, os brasileiros são os primeiros a ter sua própria porta de entrada para o metaverso, o maior fenômeno da internet dos últimos tempos.

O que antes era especulação, agora é sério, Second Life Brasil – Seja o que Deus quiser, ou melhor, seja o que o “Avatar de Deus” quiser. O second Life é um mundo virtual que já conta com 6 milhões de habitantes (residentes), o Brasil tem 200.000 residentes e espera ampliar para 2 milhões até o final do ano. O Second Life não é um jogo, as pessoas “vivem” realmente a “residência”, trabalham, estudam, ganham dinheiro (real), conhecem pessoas, namoram, transam. O Second Life será meu objeto de pesquisa de conclusão de curso, através da Antropologia pretendo viver, pensar e escrever sobre esse entendimento de “outro mundo possível”, dessa “outra vida possível” que é real e esta sendo vivida no ciberespaço – como exemplo, cito o básico Orkut e o MSN – quantos negócios, amores, ódios, ciúmes, mentiras, verdades, encontros virtuais, encontros reais, alegrias, tristezas, enfim, quanta realidade foi “potencializada” na última década através destes? pois bem, o Second Life é infinitamente mais potente do ponto de vista cultural.

Lucio Uberdan

Padrão

4 comentários sobre ““Os brasileiros são os primeiros a ter sua própria porta de entrada para o metaverso, o maior fenômeno da internet dos últimos tempos.”

  1. vive la vie disse:

    lucio, por favor,e xplica melhor: como está sendo implantado pela primeira vez no brasil s ejá existem milhões d eusuários no mundo? e como, afinal, funciona o seocnd life? desde já agradeço. bj, ana

  2. relatividade disse:

    Oi Ana….
    Agora o sistema (interface) está em português, e se tem ambientes do Brasil, Cristo Redentor, Copacabana, etc… até então os ambientes reproduziam várias partes do mundo, em especial, os USA. Outra dificuldade, era a necessidade do cartão internacional para pagamento da mensalidade, agora, pode-se pagar com cartão nacional ou boleto bancário.
    Por isso a previsão de aumentar de 200.000 para 2.000.000 de usuários brasileiros até ano que vem.

    O Second Life é um mundo virtual que em tese reproduz a vida real, com algumas alterações, por exemplo: lá você pode voar.

    O resto sua imaginação vai determinar, tem desde pessoas só circulando, até pessoas ficando realmente ricas com negócios lá dentro…

    bjos…valeu comentário…
    bye
    Lucio Uberdan

  3. Bah, Lucio…
    Que idéia fantástica!!! MUito interessante!
    Mas, qual vai ser a tua hipótese de trabalho, exatamente? Já sabes???? Vais trabalhar em relação com a cultura?

  4. relatividade disse:

    Oi querida Laura,

    Pois então, ainda não tenho o problema, parto de mochila e mente aberta em breve para esse novo mundo, tentarei levar daqui o mínimo. Não sei que problemas encontrarei lá, é um outro mundo não? Uma outra sociedade? Se sim, deverá em tese ter problemas, situações, símbolos, desejos que de antemão eu não conheço e não compreendo.

    A idéia é explorar usando Viveiros de Castro:
    Neste lado da antropologia, “os problemas são radicalmente diversos” e o “antropólogo não sabe de antemão quais são eles”. Nessa antropologia, estamos a frente da “arte de determinar os problemas postos por cada cultura, não a de achar soluções para os problemas postos pela nossa”.

    Deste lado, o nativo antes de ser sujeito e objeto, “é expressão de um mundo possível”, uma “figura de Outrem”. Outrem, é “uma estrutura ou relação, a relação absoluta que determina a ocupação das posições relativas de sujeito e de objeto por personagens concretos”, outrem é o possível .

    O que eu não quero: “Temos uma imagem do conhecimento antropológico como resultado da aplicação de conceitos extrínsecos ao objeto: sabemos de antemão o que são as relações sociais (…) parentesco, a religião, a política e vamos ver como tais entidades se realizam neste ou naquele contexto etnográfico”.

    Bjos,
    Lucio Uberdan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s