Antropologia, Política

Sou um eu de minha cultura?

Os hábitos alimentares, foram uma das primeiras prática estudadas pelos culturalistas antigos. Esse estudo não foi de graça, pois na alimentação, torna-se claro, símbolos, práticas e relações sociais de uma sociedade em particular. Mas na contemporaneidade isso funciona bem ainda? Como resolvemos a situação, por exemplo, do meu prato hoje ao meio dia do dia de Natal?

Tem churrasco (Gaúcho), Tabule (Sírio), Feijão Tropeiro (Mineiro) e salada gelada de frutas com creme.

Quando todas as culturas se atravessam, poderíamos imaginar que a globalização consolida-se, porém, é quando temos um leque de possibilidades infinitamente amplo e próximo, que o particular ressurge e mantém-se com mais força ainda.

Olhando meu prato com o Tabule e o feijão tropeiro, recordei-me das “pressões por autonomia local” tão bem colocadas por Giddens no livro “Mundo em Descontrole” (vale a pena ler).

Tive a honra de ler Giddens, nas aulas do prof. Gugliano. Por sinal, o Gugliano está no Jornal Diário Popular de ontem/hoje, 2 páginas inteiras sobre o o processo eleitoral Venezuelano o qual o professor foi observador internacional – Que orgulho.

Lucio Uberdan

Padrão

2 comentários sobre “Sou um eu de minha cultura?

  1. Lucio Uberdan disse:

    Olá Amilton…ou professor =)
    para não perder o costume, afinal sou aluno da graduação ainda…
    Que bom que gostou do blog, é um humilde espaço de reflexão, algumas vezes sem muita reflexão…
    Mas, valeu a visita…
    Um abraço,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s